terça-feira, 19 de julho de 2011

A q u i


Deambulo de janela em janela
E em nenhuma vejo o fim
Em nenhuma encontro soluções
E busco…


Perco-me em sentir
Perco-me em estranhas mas não raras sensações…
Foras tu meu, sem o seres,
Que possuir-te já é perder-te
E eu estaria só apenas na tua ausência.
Ando, vagueio, e não me encontro
Busco-me e nem sou eu…
Que me fizeste?
Para onde me roubaste a alma,
Que a busco sem fim e já sem calma…
Encontra-me, pois que só quando me encontras
Eu me encontro e sou feliz.

5 comentários:

  1. Belo poema

    Uma miss alentejana? quem sabe o futuro

    ResponderEliminar
  2. Obrigada ;)
    tens uma vasta região cheia de potenciais misses lol

    ResponderEliminar
  3. Mister, não é candidatura. lol
    Estava apenas a alertar-te que tens uma vasta região em falta no teu currículo...

    Lynce, que bom que gostaste ;)

    ResponderEliminar